quarta-feira, 30 de março de 2011

A tal da inadimplência no cóis das prefeituras...

Quem é essa tal de inadimplência, que castiga tanto os prefeitos, que vão ao Distrito Federal angariar recursos através de convênios para os seus municípios?, não sabe!, deixa ver seu sei! - São frutos do passado e presente, vírus comum entre a famosa administração pública, chamada "DAT", doença adquirida ao longo do tempo. 
Agora que você já sabe, vamos decifrar essa enfermidade; - entra prefeito e sai prefeito e a ladainha continua na mesma. Nada se pode fazer, diz quem assume! pois os prefeitos que me antecedeu, deixaram como herança, dívidas nos cofres públicos como, precatórios e contribuição dos servidores para o INSS. Com isso, a inadimplência se tornou o escudo de quem se esconde através do anonimato, pois tira a responsabilidade de quem está no mandato atual, basta entrar com uma representação na justiça contra quem adquiriu a dívida e pronto, vai ao INSS negocia o valor, e está tudo bem, volta a Brasília, e se não perdeu o prazo das emendas do seu Deputado ou Senador, consegue algo inédito, como se tivesse ganho uma batalha que se achava perdida. Mas não está tudo bem não! O vírus continua circulando ao redor do próprio, seduz a quem está no poder a cometer os mesmos erros dos que cometeram no passado, continuam recolhendo os descontos constitucional dos funcionários, e deixam de repassar os valores de quem é de direito, chegam até a aproveitar a sua própria dívida embrulhando junto com a dos outros, fazendo um pacote só, e arrola em centenas de parcelas suáveis. Continuam criando cargos e contratos, se preenchem, recolhem a contribuição social e continuam praticando atos que não condiz com uma boa administração. A de se imaginar, como eles pensam; se deixaram pra mim e deu no que deu, então deixarei essa herança maldita pra quem vai me suceder. Mas, acredito que essa enfermidade tenha cura, aqui transcrevo a receita: uma boa dosagem do antibiótico "MPF" Ministério Público Federal, acompanhado com a denuncia "ID" Improbidade Administrativa. junta-se, elabora, e interna o paciente no hospital por nome "inelegibilidade" por oito ou mais anos. Pronto, o vírus e suas enfermidades já não existe mais...   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

sua opinião.