quinta-feira, 31 de maio de 2012

Ex-secretário de Justiça do RN se diz perseguido por Carlos Augusto Rosado e Rosalba Ciarlini


Dr. Fábio Hollanda

O advogado especialista em direito eleitoral, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral e ex-presidente do Partido da República em Natal, Fábio Hollanda, afirmou esta manhã que sofre perseguição do governo Rosalba Ciarlini (DEM) após sua saída do partido e do governo, inclusive com uma determinação de não pagamento de seu salário durante os dois meses em que fez parte da gestão.
Em entrevista ao Jornal da Cidade, da FM 94, Holanda afirmou que se sentiu abandonado pelo partido ao qual pertencia e que o indicou para o cargo de secretário de Justiça e Cidadania, o PR, e que sua saída se tornou uma questão pessoal para a governadora Rosalba Ciarlini e seu marido Carlos Augusto Rosado.
“A governadora tem tido atitudes pessoais contra mim. Existe uma determinação na Secretaria de Justiça de não pagar o salário dos 60 dias que passei lá. Eu sou o único secretário da história do Rio Grande do Norte que trabalhou 60 dias sem receber salário, sem receber diária, pagando meu motorista, usando o meu carro e pagando a gasolina do meu bolso”, afirmou.
Fábio Hollanda disse que na semana passada um cliente dele o procurou para uma proposta na área eleitoral e fez uma confidência ao dizer depois que não podia contratá-lo. “Ele teve uma conversa com Carlos Augusto e ele disse ao meu cliente que se ele me contratasse não teria a simpatia dele. Foi para o lado pessoal. Agora de onde veio isso?”, denuncia e questiona o advogado.
Em relação a Carlos Augusto Rosado, este se disse surpreso pelas declarações do ex-secretário, afirmando que nunca o perseguiu e que, pelo contrário, torce pelo seu futuro. “Estou surpreso, nunca fiz esse tipo de declaração e, pelo contrário, torço pela manutenção do sucesso dele enquanto brilhante advogado que é o Dr. Fábio Hollanda”, disse Carlos Augusto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

sua opinião.