quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Relator defende incentivo fiscal para esporte em escolas públicas


Romário

Iniciativas que beneficiem estudantes da rede pública de ensino básico poderão ter preferência dentro da Lei de Incentivo ao Esporte. A lei, de 2006, permite a dedução no Imposto de Renda de patrocínios e doações a projetos desportivos e paradesportivos aprovados pelo Ministério do Esporte.

O projeto que estabelece essa prioridade (PL 1516/11) recebeu parecer favorável do deputado Romário (PSB-RJ) na Comissão de Educação e Cultura. Com base no resultado do Censo Escolar de 2010, o relator diz que metade dos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental não tem quadras esportivas em suas escolas. Nos anos finais do ensino fundamental, um terço dos alunos não tem acesso à infraestrutura desportiva escolar.
Para Romário, o Brasil precisa de mudanças imediatas na legislação para melhorar a situação das escolas. "A falta de profissionais especializados e a precariedade da infraestrutura para a prática desportiva nas escolas públicas brasileiras são possivelmente as maiores responsáveis pelo insucesso na iniciação dos nossos estudantes no esporte", disse.
A psicóloga Viviane Orlandi afirma que o estímulo à atividade física nas escolas favorece o desenvolvimento da criança e traz benefícios também para a escola e para a família. Mas a prática, segundo ela, tem sido dificultada pela falta de infraestrutura.

"A gente tem habilidades de raciocínio lógico, matemático, linguístico e o motor. E, às vezes, o motor fica de lado porque a gente não tem oportunidade de oferecer um ambiente adequado para esse jovem", disse.
Depois de ser votado pela Comissão de Educação, o projeto será analisado pelas comissões de Turismo e Desporto; de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

sua opinião.