quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Onde está você! Alcimar Monteiro.

Mais uma vez, cantores populares e conhecidos da nossa região, deixaram a juventude de Poço Branco na mão, dessa vez foi o cantor compositor Alcimar Monteiro, no sábado passado (23) festa do padroeiro Sagrado Coração de Jesus, Alcimar deveria fazer sua apresentação na festa, promovida pelo promotor de eventos, Assis Biril. Não se apresentou, deu o cano, desapareceu, melhor não apareceu, não se sabe o motivo, se foi por quebra de contrato ou algo a mais. Sabemos sim! do desconforto para os fãs, tantos e quantos dos que saíram das cidade vizinhas para prestigiar a nossa festa e, mais uma vez deparou com cenas como: Ferro na Boneca sem Briola! Forró do Muido sem a apresentação de uma das duas irmãs! festa do padroeiro sem Alcimar!  e por aí vai...
Só sei que! a data comemorativa do nosso Santo Padroeiro é, apenas uma semana por ano, onde o Sábado, temos como um dos destaques, a tradicional  barraca com leilão e a festa. Isso leva-me a recordar alguns anos atrás, quando naquela época um dos clube de Poço Branco no acordo com a igreja, fazia a festa no sábado em seu próprio beneficio e, sedia apenas o local no domingo para a festa do padroeiro! resultado prejuízo em cima de prejuízo. Bem! no ano do mandato do Prefeito João Maria de Goes, participei da reunião da igreja, onde escolhido pela maioria fui designado para presidir a comissão da nossa festa, e propus que a festa (baile), deveria ser no sábado e, com muita luta conseguimos. Contratamos banda, adquirimos outra gratuitamente doada pelo prefeito na época (J.M.G) e, realizamos um sonho que todos nós queríamos ver.
Foi um resultado satisfatório! bastante lucro, sentimos que não havia necessidade de tirar dinheiro, como antigamente da barraca para cobrir despesas do baile, quando feito no domingo.
Vou mais adiante! me entristece em ver disputa quem é quem, quando deixam de lado o nosso padroeiro, ficção apenas nos lucros que podem render em seus próprios benefícios, negociam e, quando conseguem pagam uma ninharia insignificante a igreja. Concluo! no período de um ano existe vários sábados, domingos e, datas comemorativas no nosso município, apenas  reservamos uma semana para o nosso padroeiro, não se esqueçam promotores de eventos:  Resultado! tropeço nos seus próprios pés...                                                 
                                                                                  Por Neo Alves

Um comentário:

  1. Amigo, boa tarde.
    Se você verificar meu Twitter vai ver que já expliquei a situação que ocorreu em Poço Branco.

    O contratante do show, de nome Francimário, e o dono do local dos eventos, Assis, simplesmente fugiram do local da apresentação do evento com o dinheiro da bilheteria, sem honrar o contrato que fizeram comigo.

    Quando chegamos na cidade de João Câmara um carro Nissa Xterra nos parou e disse ter um recado de Francimário, dizendo que houve uma briga no local da apresentação e que pela segurança do artista não deveria levar o ônibus até lá. Meu empresário tentou ligar diversas vezes para o referido contratante, e sempre na caixa-postal.

    Pois bem. Meu empresário desconfiado daquela situação pegou carona em um carro pequeno que nos acompanhava e foi averiguar a situação. O que ele encontrou foi um público pacífico, mas certamente irritado com nossa ausência. E segundo relato do próprio funcionário responsável pelo evento que ainda estava no local essa dupla havia passado duas horas antes e levado a bilheteria consigo.

    Coube a banda de forró que se apresentou de meia-noite às cinco da manhã, e aqui vai meu agradecimento apesar de ter esquecido o nome, acalmar o público e tentar explicar a situação.

    Enfim... De minha parte queria muito ter me apresentado, mas com essa quebra de contrato, e ato de desonestidade não poderia fazê-lo. No show ontem na cidade de Guamaré, distrito de Baixa do Meio expliquei ao público o que ocorreu.

    Se quiser mais detalhes, contacte-me pelo www.twitter.com/AlcymarMonteiro

    Abraços.

    ResponderExcluir

sua opinião.